IIª Guerra
Mundial


Ao terminar a Primeira Guerra Mundial, reunia-se em Paris, 19 de janeiro de 1919,
uma conferência de paz. Composta por 32 países, tinha por finalidade impor uma paz severa aos derrotados da Tríplice Aliança. Os Vencedores elaboraram, então, inúmeros tratados que foram obrigados a aceitar. Destes, o Tratado de Versalhes é o mais
conhecido e regulava a paz com a Alemanha decretando a Perda de 15% de seu território e 10% de sua população.

Além dessas implicações, o tratado, assinado em junho de 1919, na Sala dos Espelhos de
Versalhes, o que demonstra o espírito de desforra dos franceses, continha quatro capítulos
e outras disposições.

O exército alemão seria reduzido a 100 mil homens cuja finalidade era patrulhar o território.
Ficava proibida a indústria de material bélico; Todos os territórios anexados pela Alemanha,
desde o século XIX, seriam devolvidos aos países de direito; Foi estabelecido um pagamento de indenização, não necessariamente em dinheiro, mas em bens nacionais, propriedades privadas, pensão a aposentados inválidos, viúvas e órfãos; Reconhecimento da independência da Polônia
e Tchecoslováquia e diversas outras imposições.

Essa humilhação sofrida pela Alemanha com o Tratado de Versalhes cria as condições ideais para um movimento de manifestação nacionalista dentro da Alemanha que culmina com a formação e fortalecimento do partido Nacional socialista dos Trabalhadores Alemães(NAZI) e a ascensão de Hitler ao poder, em 1933.

Este, talvez, o motivo principal que levou a Europa á Segunda Guerra Mundial.
Mas não podemos limitar a motivação da Segunda Guerra a esse único fator. Outras causas
foram, também relevantes e estão inseridas no clima de conflitos e crises em que
atravessou a Europa por todo o período entre guerras (1918-1939).

Segundo alguns autores expressivos, a Segunda Guerra nada mais foi que a continuação
da Primeira. Esta, ao terminar, não solucionou nenhum dos problemas que a provocaram.
Na verdade, segundo estes autores, não houve uma Segunda Guerra e sim uma trégua
entre os dois momentos.

Outras Causas Mediatas


Se já não bastasse as causas que remonta á anterior e que permaneceram após ela, tivemos
ainda outros fatores agravantes:

Os EUA haviam se tornado uma potência mundial. Defendendo uma ideologia burguês,
capitalista e liberal, tende por princípio e lógica a se opor á URSS, proletário-socialista, em
prometido processo de expansão e possível ameaça ou preocupação á sua hegemonia
recentemente conquistada;

A crise de 1929, ocorrida nos EUA e que, exportada para o resto do mundo, interrompeu o processo de reconstrução dinâmico da Europa pós Primeira Guerra foi outro agravante. Em alguns países do velho mundo, as medidas de combate á se deu de forma natural e constitucional, mantendo estes, seu regime democrático ( Inglaterra, França, etc).Em
outros países, politicamente instáveis, a oposição combatente, levou á tomada do poder por grupos mais organizados que acabam por implantar no país um regime do tipo totalitário ou ditatorial (Itália, Alemanha, Espanha e outros).


Estes grupos se opõem e acabam por se organizarem posteriormente em dois blocos:
Eixo e Aliados.

O Partido Nazista


Outro fator preponderante, responsável pela Segunda Guerra, que podemos destacar será
as mudanças político-econômicas imprimidas na Alemanha durante o período entreguerras.
Á partir de 1926-1927, um partido vem ganhando notoriedade e adesão significativa na
Alemanha, o Nacional-socialista.
Com o comando de um austríaco de nome Adolf Hitler, que não poderia constitucionalmente
ser eleito em nenhuma parte da Alemanha, cativou e conquistou uma
reputação excelente, tanto entre os nacionalistas austríacos, como os reacionários alemães.
Isto Facilitará sua ascensão.

Um partido depende de uma base ideológica e como os socialistas que tinha em Marx sua base
teórica, adotaram, os nazistas, o pensador, Alfred Rosenberg.
Como objetivos, se pretendia a formação da Grande Alemanha, expandindo-a geograficamente
em terras vizinhas conquistadas, além da posse de inúmeras colônias e uma política manifestadamente antifrancesa.

As pregações desse partido não deixava dúvidas quanto aos desejos de Hitler: o carvão e o
ferro da Sibéria; o petróleo da Romênia e Cáucaso; o trigo da Ucrânia e, especialmente, o reordenamento do mundo colonial.
Como símbolo, uma bandeira vermelha, como a dos comunistas, mas, no lugar
da foice e do martelo, destacavam a "suástica" ou cruz gamada, que simbolizava
os povos indo-europeus, os anti-semitas e os nacionalistas; A saudação é importada diretamente da Itália.

A atuação desse partido, bem como a influência exercida sobre o povo alemão,
causava preocupações ao restante da Europa.

Em julho de 1921, Hitler se tornou a autoridade absoluta desse partido, denominado agora de Nazista (NAZI - siglas iniciais do partido). Em 1923, Hitler é condenado e na prisão escreve a obra sagrada dos nazistas , Mein Kampf ("Minha luta").

Mais tarde, já em liberdade, Hitler é convidado pelo Presidente Hindenburg para o cargo de Primeiro Ministro(1933).
Com a morte de Hindenburg (1934), Hitler assume, também o cargo de presidente
tornando-se o chefe absoluto(Füher). Estava, assim formado, o Terceiro Reich. Estado
previsto por Hitler, para durar mil anos.

Não podemos esquecer, que neste mesmo ritmo e intensidade, a política italiana, aliada á
Alemanha, caminhava com Benito Mussolini e também preocupava. Numa carreira meteórica, Mussolini, cria o Partido Nacional-Fascista em 1921; em 22 chega ao poder como ministro e em 25 torna-se ditador. O todo poderoso Duce (dirigente)

A Política expansionista Alemã, Italiana e japonesa


Mussolini, tem como meta tornar a Itália uma potência capitalista mundial. Inicia um processo
de expansão ocupando a Etiópia, no leste da África, em 1936 e a Albânia em 1939. incentiva o
crescimento industrial (principalmente a Indústria bélica).

Paralelamente, Hitler, Em março de 36, ocupou a Renânia. Mais tarde,
anexa a Áustria á Alemanha (Anschluss - 1938) com o consentimento austríaco.

Seguindo sua sanha expansionista, reivindica a região dos Sudetos na Tchecoslováquia.
Promove uma reunião com os representantes das potências européias (Itália, Alemanha, Inglaterra e França) que concordam com a anexação. Os alemães aproveitam e,
além dos Sudetos, ocupam toda a Tchecoslováquia (39);
Mas não ficam por aí. Em Agosto de 39, assina um pacto com a URSS (Pacto Nazi-Soviético), invadem e dividem entre si, a Polônia.

O Japão sempre aspirou o domínio e hegemonia sobre as regiões asiáticas. Á partir de 1904/05, quando saiu vitoriosa numa guerra contra a Rússia, passou a pressionar a China, reivindicando a ocupação da Mandchúria.
Posteriormente, após a Iª Guerra mundial, ocupa quase todas as colônias alemãs no
Pacífico e grande parte das colônias americanas na região. Em 1931, invade o reino da
Mandchúria e em 1935, a China. Segundo o especialista em assuntos militares, Laurent
Henninger, as forças japonesas cometeram massacres inacreditáveis contra a população
chinesa, principalmente na cidade de Nanquim em que morreram mais de 400 mil chineses

A Política de Apaziguamento


Diante dessas atitudes expansionistas, países europeus, como França e Inglaterra, adotaram uma
política chamada de Apaziguamento, limitando-se a apenas protestarem ou impor algumas amenas
sanções econômicas contra as agressões. Na verdade, além do temor que tinham de provocar uma
Segunda guerra, consideravam que o verdadeiro inimigo do mundo capitalista era o socialismo
implantado pelo soviéticos que poderia contaminar os trabalhadores e prejudicar os interesses das
classes dominantes. Como italianos e alemães combatiam aquele regime, consideravam as atitudes
de Hitler e Mussolini, um fator providencial e conveniente.

Já os EUA desenvolvia uma política isolacionista, procurando não se
envolver na conflituosa vida européia. Portanto contribuía, indiretamente, para
essa política de Apaziguamento.

Início da Guerra - Polônia a primeira vítima


Em abril de 1939 Hitler exige a anexação de Dantzig, o "corredor polonês"
No dia 01 de setembro de 1939, ás 4h45m, os alemães atacaram rompendo a fronteira polonesa.
Para justificar, os alemães haviam, anteriormente, forjado um ataque polonês a uma rádio alemã
próxima á fronteira.
O exército alemão desencadeou então uma tática de guerra, quase semelhante á utilizada na primeira guerra, chamada de BlitzKrieg. Está tática consistia num avanço relâmpago sobre as defesas inimigas
e centros populacionais. Enquanto isso, as força Aérea alemã - Luftwaffe - promovia ataques as várias outras cidades, incluindo Varsóvia. As forças soviéticas, em cumprimento ao pacto feito com os alemães, avançam sobre a Polônia pelo leste, ocupando-a e derrotando-a em 27 de setembro.

A Polônia, tinha como aliadas, a Inglaterra e a França. Em 03 de setembro,
os ministros Neville Chamberlain da Inglaterra e Edouard Daladier da França, declaram guerra á Alemanha.

A França parecia tranqüila. Além de um exército considerado um dos melhores da Europa, possuía, ainda, a Linha Maginot, Uma imensa linha de fortificações e trincheiras próxima a fronteira alemã, que segundo eles seria capaz de deter qualquer invasão.

Vários contra-ataques realizados contra os alemães foram ineficazes e não surtiram o efeito
desejado. Os alemães continuaram de vitória em vitória até Varsóvia. Vencida essa etapa, Hitler
agora voltava seus planos em direção ao oeste europeu.

Até junho de 1940, quando a Itália declara guerra à França e ao Reino Unido, o conflito está
restrito aos três países. A Alemanha invade e ocupa a Noruega, a Bélgica, a Holanda, rompe
a linha Maginot e invade a França.

O domínio alemão se consolida quando os exércitos franceses e ingleses estacionados na Europa
foram obrigados a uma retirada forçada através do porto de Dunkerque (Retirada de Dunkerque).
Quase todo o equipamento militar inglês e francês foi confiscado pelos nazistas, bem como,
aprisionados milhares de soldados. com a fuga de Dunkerque e os armistícios assinados pela
França com a Itália e Alemanha, em junho de 1940, o território francês foi dividido em duas áreas: uma região de ocupação submetida aos nazistas e uma zona "livre" governada por um primeiro-ministro francês, marechal Henri Phillipe Pétain, que assume poderes ditatoriais.
Transfere a capital para Vichy, e colabora estreitamente com os nazistas.

Em oposição aos nazista, organizou-se um grupo de franceses, sob a liderança de Charles
De Gaulle com a colaboração de um exército de resistência (Resistência Francesa), que combatia
na clandestinidade e heroicamente as tropas alemãs. A princípio sem sucesso.

Os territórios ocupados, são explorados segundo os interesses do III Reich. As tropas invasoras apoderam-se dos estoques de matéria-prima e manufaturas e reativam as indústrias paralisadas. Os povos conquistados são obrigados a
trabalhos forçados.

Nessa altura da guerra a Alemanha nazista controla a Áustria, Tchecoslováquia,
Dinamarca, Noruega e a maior parte da França. Tudo dominado pelo III Reich e
não restava nenhuma tropa inglesa no continente. Ao mesmo tempo, o Eixo recebia a adesão de
outros países: Hungria, Romênia e Bulgária.

Os ingleses,governados por W. Churcill, violentamente bombardeados, dia e noite, resistem aos
nazistas. Sua Força aérea, RAF (Royal Air Force), consegue rechaçar os ataques da Luftwaffe.

2ª Fase da Guerra - CAMPANHA DA RÚSSIA


Em junho de 1941, a primeira fase da guerra termina com o ataque alemão à União Soviética
(Operação Barbarossa). Á partir daí, as divergências ideológicas entre capitalistas e comunistas
são colocadas em segundo plano. A URSS está agora do lado dos Aliados. A Wehrmacht (Exército
alemão) já havia ampliado seu domínio sobre os Bálcãs conquistando a Iugoslávia e a Grécia.
Hitler faz uma aliança com a Finlândia, Hungria e Romênia para o ataque a URSS.

Ao atacar a União Soviética, Hitler utilizou mais de 60% de seus exércitos e o melhor de seus
equipamentos militares, mas o Exercito Vermelho defendia-se heroicamente. Indústrias são
transferidas para os montes Urais e os Aliados prestavam importante auxílio marítimo e aéreo
às forças soviéticas.
A ofensiva nazista, a princípio será coroada de vitórias. Á partir de 1942, os soviéticos que haviam
detido os alemães na Batalha de Moscou(11/41), derrota-os em Stalingrado (Batalha de Stalingrado) se recuperam e iniciam uma contra-ofensiva vitoriosa que terminou com
a rendição das tropas nazista em fevereiro de 1943.

Saindo de Stalingrado, os soviéticos vieram pressionando os alemães de volta ao seu território e reconquistando os territórios ocupados pelos nazistas: Bulgária, Finlândia, Hungria, Romênia,
Polônia, Tchecoslováquia.

Ataque a Pearl Harbor


Em 07 de dezembro de 1941, o Japão lança um ataque, sem declaração de guerra, aos EUA.
Com 6 porta-aviões, 2 couraçados, 9 destróieres, 3 cruzadores e alguns petroleiros, uma força
naval japonesa ataca de surpresa a base naval americana no pacífico, Pearl Harbor, afundando grande parte da frota americana no Pacífico. Morreram 2.400 americanos.
Um fator que facilitou ao Japão destruir Pearl Harbor, foi a estratégia"kamikaze":
Aviões japoneses carregados de explosivos e conduzidos por um piloto suicida se
atiravam sobre o alvo inimigo.

Esse ataque leva os EUA a declararem guerra ao Japão. Dois dias depois, Alemanha e Itália, também declaram guerra aos EUA, alegando o acordo assinado entre os três países.
Por seu lado, o Japão ocupa a Indochina Francesa e passa a deter supremacia naval no Pacífico.
Em seguida, toma Hong-Kong, Malásia, Singapura, Índias Orientais Holandesas, Bornéu,
Filipinas e Birmânia.

A partir de 1942, ficam, então definidas as duas facções beligerantes: os países do Eixo,
Alemanha,Itália e Japão contra os Aliados Inglaterra, Estados Unidos, União Soviética e China.
A China já se encontra em guerra contra o Japão desde 1931.

Etapa Final


O conflito entra numa fase de desgaste. O Eixo na tentativa de subjugar a Inglaterra ,
corta suas linhas de abastecimento no Atlântico e no Mediterrâneo sem muito sucesso.

A Itália que vinha tentando expandir seu domínio sobre a África, fracassa e os alemães, com o
General Rommel, assume o controle das operações e obtém expressivas vitórias na região até
ser derrotadas pelos ingleses comandados pelo General Montgomery em 1942.

Em julho de 1943 os Aliados desembarcam na Sicília e, avançam até Nápoles. Mussolini é destituído em julho e a Itália, derrotada, muda de lado.
Tropas alemãs, ainda, ocupam Roma, o centro e o norte do país, mas a ofensiva aliada toma a capital e em abril de 1945 as forças alemãs na Itália se rendem.

Nos Bálcãs, o avanço soviético liberta a Romênia e a Bulgária. Os exércitos guerrilheiros da
Iugoslávia passam à ofensiva, com o apoio de tropas soviéticas. Na Albânia e na Grécia, os
guerrilheiros (partisans) realizam levantes e forçam a retirada das tropas alemãs durante
o ano de 1944.

O Dia " D " - Desembarque na Normandia


Com o aparente enfraquecimento do Eixo, com a URSS e EUA do lado dos Aliados, resolvem
estes lançar uma ofensiva final contra as tropas nazistas que ainda resistem na Europa.
Em julho de 1944, sob o comando do General americano Einsenhower é reunida uma
força-tarefa composta de soldados americanos, britânicos e canadenses. Esse exército
de 50 mil homens, 5 mil navios e mil aviões desembarcam nas praias da Normandia,
noroeste da França e lançam uma ofensiva contra os alemães. Em agosto, Paris é
libertada.
Os exércitos aliados avançam em direção á Alemanha.

A fronteira alemã é ultrapassada pelos Aliados em setembro. Bombardeios aéreos
pesados fustigam as cidades industriais alemãs. No início de 1945 os soviéticos (pelo leste) e
os norte-americanos e britânicos (pelo oeste) fazem uma verdadeira corrida para ver quem chega
primeiro a Berlim.
Hitler suicida-se em abril, com a chegada das tropas soviéticas a Berlim, e o almirante Doenitz
forma novo governo e pede o fim das hostilidades. A capital alemã é ocupada em 2 de maio.
Em 07 de maio de 1945, os alemães se renderam incondicionalmente ás tropas aliadas

No Pacífico, os norte-americanos vencem o Japão na batalha naval de Midway e em Guadalcanal
e partem para a reconquista da Ásia. No Pacífico central, conquistam as ilhas Aleutas, Gilbert,
Marshall e Marianas e as Filipinas. A Birmânia é reconquistada por tropas britânicas,
norte-americanas e chinesas. Em fevereiro de 1945 ocorre o primeiro desembarque
norte-americano no Japão, na ilha de Iwojima.

Hiroshima e Nagasaki


Japão, praticamente derrotado, insistia em continuar na Guerra. Os EUA, tira proveito da situação
e visando demonstrar seu poderio militar, principalmente aos países de regime socialista, URSS
em particular, em 6 de agosto de 45, lançam a primeira bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima , deixando mais de 100 mil mortos e 100 mil feridos. Não satisfeitos, em 9 de agosto, é
lançada a segunda bomba atômica, dessa vez sobre Nagasaki, com saldo de vítimas semelhante ao
de Hiroshima.
A Rendição do Japão acontece em 2 de setembro, em Tóquio.
A 2º Guerra Mundial deixa um saldo de 50 milhões de mortos e custa mais
de US$ 1 trilhão.

A partir de 8 de agosto tropas soviéticas expulsam os japoneses da Mandchúria e da Coréia e ocupam as ilhas Kurilas e Sakalina. Está terminada a guerra

O Brasil e a Segunda Guerra


A posição do Brasil, governado por Vargas, em relação á Segunda Guerra, era de
indefinição, ás vezes, pendendo mais para o lado dos alemães, Tanto, que é notório o discurso
de Vargas, em 1940, parabenizando as forças nazistas pelas vitórias sobre as forças aliadas.
Esse posicionamento brasileiro preocupava os EUA que procurou de todas as formas atrair a
simpatia do Brasil para a causa aliada. Uma das medidas utilizadas foi um vultoso empréstimo
para a construção da Usina de Volta Redonda, o que fez Vargas se definir a favor dos aliados. Em
1942, com o afundamento de alguns navios brasileiros, supostamente, por submarinos alemães, o
Brasil declara guerra ao Eixo.
Ao se posicionar ao lado dos aliados, Vargas disponibilizou mais de 20 mil soldados brasileiros,
tanto da FEB, quanto da FAB. Essas tropas foram incorporadas ao exército aliado e encarregadas
de participarem da campanha da Itália, já próximo ao final da Guerra.


As Conseqüências da Segunda Guerra Mundial


As Conferências

As forças nazistas ainda resistiam quando os aliados, considerando favas contadas a vitória
sobre Hitler, deram início as conversações para reorganizar a Europa e estabelecer novos parâmetros nas relações internacionais, um novo paradigma para um mundo novo.

Alguns Tratados e conferencias foram realizadas visando esse intento:

A Conferência de Casablanca
em Janeiro, 1943, que discutiu estratégias de guerra contra a Alemanha e planejar a
invasão da Europa.

A Conferência de Teerã,
em Novembro - Dezembro, 1943.  Nesta especulou-se a rendição incondicional da Alemanha
Nazista; ajuda militar aos guerrilheiros Iugoslavos; Polônia, receberia compensações territoriais
e comandada por um governo pró-soviético;
acerto da Operação Overlord - o nome código do grande desembarque anglo-saxão nas costas da França atlântica, que seria realizado em 6 de junho de 1944, coordenado com a invasão do sul daquele mesmo país; A Rússia de Stalin assumiria a guerra contra o Japão.
As primeiras conversações para a criação e fundação de uma instituição internacional que substituísse a Liga das Nações (que viria a ser a ONU).

A Conferência do Cairo,
em Novembro, 1943
Onde foi concluído o plano de invasão da Europa e nomeado o General Dwight David
Eisenhower, Comandante das Forças Aliadas para a Operação denominada Overlord,
mais conhecida com Dia "D"


A Conferência de Ialta em Fevereiro, 1945

Winston Churchill, Franklin Roosevelt, Josef Stalin e centenas de conselheiros militares
reuniam na cidade de Yalta, às margens do mar Negro, na Criméia, Rússia, e deram início ás providências visando redefinir as fronteiras do Velho Continente.
A Alemanha era o alvo principal e, concordavam todos, que esta deveria ser retalhada em
quatro zonas de ocupação, colocadas sob jugo de Grã-Bretanha, Estados Unidos, União
Soviética e a França.
Foram, ainda, definidos os novos governos para dois países já retomados pelas forças aliadas. A Iugoslávia seria comandada pelo famigerado líder guerrilheiro Josip Broz, o Marechal Tito - que contribuíra com as forças soviéticas na emancipação de Belgrado em outubro de 1944.
Já o governo de Stalin, assumiria o comando da Polônia.


A Conferência de Potsdan Julho, Agosto de 1945

Os aliados da II Guerra Mundial, EUA,URSS e Inglaterra, se reuniram para decidir os destinos da Alemanha que se tinha rendido incondicionalmente nove semanas antes, no dia 8 de Maio. O EUA, com sua superioridade nuclear, impôs suas reivindicações: A Alemanha foi dividida em quatro zonas de ocupação militar e Berlim também seria dividida nas mesmas quatro zonas: EUA, URSS,Reino Unido e França. Os objetivos da conferência incluíram igualmente o estabelecimento da ordem pós-guerra, assuntos relacionados com tratados de paz e o contornar os efeitos da guerra.a separação da Áustria da Alemanha. desmilitarização, desnazificação e democratização. Julgamento dos criminosos de guerra Nazis. Acordo sobre as indenizações de guerra em propriedades, produtos industriais e força de trabalho.
ultimou os termos de capitulação do Japão que não acatando, foi vitimado pelo lançamento de bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.
a conferência de Potsdan acabou por ser a última conferência entre os Aliados.

Conferencia de São Francisco

Em julho de 1945. Para substituir a Liga das Nações, é criado um novo organismo internacional
denominado ONU (Organização das Nações Unidas). Composta por representantes de
todos os países, tendo por finalidade solucionar questões internacionais de forma
diplomática evitando o envolvimento armado.

O Tribunal de Nuremberg


Perdas Humanas

A população européia será a maior prejudicada na contabilização das perdas humanas,
sem esquecer que outros países envolvidos também sofreram nesta contabilidade.

No total, quase 60 milhões de pessoas sucumbiram á guerra. A Rússia foi, nesse ranking
trágico, a campeã. Perdeu 20 milhões de pessoas entre militares e civis; O Japão, 1 milhão
e 300 mil; A china, 6 milhões sem contar os civis; A Alemanha, 5 milhões; e,os EUA, o último colocado, com, aproximadamente, 300 mil soldados.
Não contamos aqui com regiões outras que também se envolveram, como Itália, França,
Holanda, Brasil, África, Regiões asiáticas, etc.>

Outras Conseqüências e Desdobramentos

Os EUA e a URSS tornam-se  os grandes centros de decisões.
A Europa perde toda a sua hegemonia:

O Mundo passa a conviver com duas ideologias antagônicas: Socialismo e
capitalismo,  gerando focos de tensões em várias partes do mundo;

É criado o Plano Marshal sob a tutela dos EUA. Os países destruídos pela guerra
ficam dependentes desse plano de ajuda econômica para reconstruir seus países;

A Alemanha foi dividida em duas, RDA e RFA, com quatro setores de ocupação.
A Republica Federal Alemã, de regime capitalista, administrada por EUA, Inglaterra
e França. A República Democrática Alemã, com um regime socialista,
administrada pelos russos;

Quase toda a Europa oriental ficou sob domínio dos soviéticos onde será
implantado regimes de governos socialistas: Tchecoslováquia, Romênia,
República Democrática Alemã, Polônia, Hungria, Iugoslávia e Albânia;

Com as dificuldades econômicas pelas quais a Europa se encontrou no pós guerra
ficou difícil manter um certo controle das colônias afro-asiáticas. Estas, aproveitando
a situação, deram início a um processo de descolonização.

Os coreanos, dominados pelos japoneses, lutaram ao lado dos aliados, recebendo como
prêmio, a sua independência, mas ficaram divididos em duas zonas de influência:
o norte comandado pelos soviéticos e o sul sob a tutela norte-americana.
Mais tarde, em 1947, constituíram-se em dois Estados autônomos:
A República Popular Democrática da Coréia ( ao norte com o sistema comunista)
e a República da Coréia ( ao sul, com o sistema capitalista).
Em 1949, quando as tropas estrangeiras retirou-se do país, teve início um conflito
entre os dois lados. A Intervenção dos EUA e da China, de um lado e do outro,
mantiveram as Coréias separadas em Norte e Sul

A Guerra Fria

Apos o acertos finais no pós-guerra, e o aparente clima de paz, Norte-americanos e
soviéticos começam a se desentender. Os EUA, seguindo a orientação de seu embaixador em Moscou, George Kennan, optaram por lançar-se numa política de combate ao comunismo.
Recomendava o diplomata a "adoção de uma política forte, de decisivo enfrentamento contra
Stalin não permitindo que a URSS extravasasse em nenhum caso os limites acertados
em Potsdan. E, se possível, fazê-la reverter para suas fronteiras originais de antes da guerra.
Isto tudo articulado com uma política saudável, para evitar que o comunismo, ganhasse
mais espaço no futuro."
 

Esse clima de confronto vai, pouco a pouco distanciando-os, e aos respectivos aliados,
marcando o inicio de um novo momento histórico que denominamos Guerra Fria.

Esse conflito, sem envolvimento armado, cada qual defendendo interesses particulares ligados
á sua ideologia (socialismo X capitalismo) demonstrava, na verdade, uma disputa pela
hegemonia nos negócios internacionais.
Os EUA, para fazer frente aos soviéticos, criaram como na primeira e segunda guerra um bloco ou organização, como queiram, reunindo países de ideologia semelhante, a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a URSS, em contraposição, organiza, também o seu bloco, o Pacto de Varsóvia, reunindo os países socialistas.

Leituras Recomendadas  -  Click no Título

A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Ken Hills

NAZISMO E FASCISMO

Revista Aventuras na História

GUERRA FRIA

José Arbex Jr.

A ORDEM NEGRA

Heinz Hohne

A INVASÃO CULTURAL NORTE-AMERICANA

Júlia Falivene Alves

JORNAL DO SÉCULO XX

Jayme Brener

NAZISMO

Revista Superinteressante

VISITE NOSSO ACERVO
DE LIVROS NOVOS E USADOS






Procure na BUSCA pelo
autor ou pelo título.
Se tiver dúvida insira apenas
parte do título ou autor
 
Use palavras-chave para
achar o que procura.
ou click em
Busca Avançada

Fique atento ao valor do frete. Adquira mais livros.
Até 1 kilo, o preço do frete
tem o mesmo valor
Eustáquio Lagoeiro Castelo Branco
Webmaster, Webwriter, professor graduado em história e sociologia, 
pós-graduado com especialização em informática educacional
eduquenet@eduquenet.net

shauna sand video